Notícias

Últimas Notícias

Escola de Futebol da USS realiza Clínica Internacional de Futebol Social com treinadores peruanos

Clínica promove intercâmbio com profissionais responsáveis pelo maior projeto de esporte social na América Latina

            Alunos e alunas da Escola de Futebol da USS tiveram uma semana diferente. Os treinamentos realizados no estádio municipal Ernâni do Amaral Peixoto, entre o Centro de Vassouras e o bairro do Madruga, ganharam sotaques diferentes. Foram ministrados pelos peruanos Hugo Navarette e Waldyr Jhoel, em evento da Clínica Internacional de Futebol Social da USS. A clínica, idealizada pelo coordenador de campo da Escola de Futebol da USS, professor Anderson Souza, tem o objetivo de promover um intercâmbio entre o projeto social vassourense com o desenvolvido na periferia de Lima, a capital peruana.

            A Escola de Futebol da USS, criada em 2017, atende a 150 meninas e meninos de várias comunidades do município de Vassouras. “A escola de futebol tem um diferencial de qualidade desportiva. O objetivo é atender diversos setores da sociedade através da prática do futebol. A preocupação é englobar o maior número de meninos e meninas para jogar futebol. Com espaço seguro, bons profissionais. Em um segundo momento, se formarmos bons jogadores, melhor. Mas a nossa prioridade é cuidar do ser humano”, afirma Anderson Souza, coordenador de campo do projeto.

            Criador da Escola de Futebol Colômbia Peru, desenvolvida em Lima a partir do apoio da embaixada colombiana no Peru, o comunicador social Hugo Navarette ressaltou a importância de o esporte ser utilizado para mudar a vida de jovens e crianças de comunidades carentes. “O esporte social é muito importante. A oportunidade de mudar a sociedade através do esporte. Dar aos jovens uma alternativa para que se mantenham longe das drogas e do álcool”. Para Navarette, o importante é formar boas pessoas. “O mais importante é que venham a ser boas pessoas, bons cidadãos. Não há um bom jogador, se não há uma boa pessoa”.

            Navarette sabe do que fala. Ex-dirigente de clube profissional de futebol, o comunicador social notou a falta de espaço para a prática de futebol entre as meninas. Em 2013, criou a escola de futebol feminino na periferia de Lima. O trabalho começou no pé de um morro conhecido pela violência. “Quando subimos o morro para divulgar o trabalho, fomos escoltados pela polícia e pela guarda municipal”, recorda-se. O projeto começou com 30 alunas e nenhum apoio. Hoje, envolve mais de 5 mil meninas em 12 sedes em Lima e no interior do Peru, já cedeu jogadoras para as seleções nacionais em todas as categorias – inclusive a seleção principal – e conta com o reconhecimento da Prefeitura de Lima, governo federal, UNICEF e a parceria de diversas empresas peruanas, além do governo da Colômbia.

            Durante a semana, Hugo Navarrette e o treinador Waldyr Jhoel participaram de treinamentos em diversas iniciativas de esporte social em Vassouras, dentro e fora da Universidade Severino Sombra. Na sexta-feira, dia 13, ele ministrou uma emocionante palestra no auditório Severino Sombra, contando a história da Escola de Futebol Feminino Colômbia Peru e como o futebol pode ser usado para ampliar o horizonte de jovens antes sem expectativas, moradoras de áreas pobres de uma grande metrópole sul-americana. Uma realidade muito próxima da vivida por milhões de meninas e meninos do Brasil.

            Idealizada por Anderson Souza, a clínica contou com apoio do coordenador de Esportes da USS, professor Paulo Caminha, e da pró-reitora de Extensão Universitária e Desportes, Consuelo Mendes. A equipe do projeto é integrada também pelos professores Nílton Basílio e José Augusto Teixeira Lima Júnior.

            Humilde, Hugo Navarrette diz que não veio ao Brasil “ensinar nada”, apesar do sucesso do projeto dirigido por ele. “Eu estou aqui para trocar experiências. E tenho certeza que o projeto da USS irá se tornar uma referência no esporte social. Em Lima, começamos com trinta meninas. Aqui, vocês já atuam com 150 meninos e meninas”, afirmou. A clínica termina neste sábado, com Navarette e Jhoel dirigindo as equipes de futebol feminino da USS em partidas amistosas contra times da vizinha cidade de Mendes.

Cadastre-se em nossa newsletter e receba novidades!